top of page
  • Foto do escritorBerlitz Comunicação

Dicas práticas para apoiar os filhos em ano de vestibular

O meio do ano está chegando e, com ele, o vestibular está cada vez mais próximo. Descubra como apoiar seu filho vestibulando e faça a diferença em sua jornada acadêmica


Vitória Zaia entrou, no ano de 2023, em um dos cursos mais concorridos dos vestibulares: medicina na Universidade de São Paulo (USP). Antes da aprovação, passou 3 anos fazendo cursinho para conseguir uma vaga em uma universidade pública. Por trás das incontáveis horas estudando, estavam o apoio e motivação de seus pais.


“O principal apoio que recebi dos meus pais foi o financeiro. E eles respeitavam minhas horas de estudo, evitando fazer barulho enquanto eu estudava”, relata a estudante. Além dessa ajuda, Vitória relembra que a confiança deles era de extrema importância.

“Eles foram meu apoio em todas as minhas reprovações. Lembro que a primeira vez que não passei, minha mãe ficou sentada comigo no chão do meu quarto por uma hora enquanto eu chorava”, relata a filha. A estudante relembra que a mãe respeitou sua dor naquele momento, mas depois a incentivou a não chorar mais e a voltar a se preparar para outro vestibular.


Quando Vitória ficava muito ansiosa nas vésperas de provas, os pais a incentivavam a fazer atividades físicas ou a ver um filme para relaxar. “Um dia antes de qualquer vestibular, nós jogávamos algum jogo para descontrair ao máximo e dar algumas risadas. Esses momentos foram muito importantes para a minha aprovação”, aponta a jovem.


Os pais também sofrem o nervosismo pré-vestibular


Assim como o vestibular pode ser uma época de muito nervosismo para os estudantes, os pais também podem ter sintomas ansiosos enquanto acompanham todo o processo. No entanto, existem algumas formas de ajudar os filhos, sem pressionar ou dificultar ainda mais essa fase.


Nesse momento, conversar com os filhos sobre a nova fase que se encontram é essencial.“Esse diálogo deve ser aberto e construtivo. Os pais podem iniciar a conversa explorando os interesses e paixões dos filhos, sem impor expectativas ou direcionamentos pré-definidos”, explica Mara Duarte, neuropedagoga e diretora-geral da Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo (Fatec).


A especialista explica que é importante perguntar o que esperam da vida universitária para poder discutir sobre as diversas opções, incluindo diferentes cursos, universidades, possíveis carreiras e as realidades de cada escolha. “Uma abordagem útil é compartilhar experiências próprias ou de conhecidos sobre a vida acadêmica e profissional, mas sempre deixando espaço para que os filhos expressem suas próprias ideias e preocupações”, sugere Mara.


Como apoiar a escolha do curso?


Na escolha do curso, é preciso ter paciência e disposição para ouvir as vontades e sonhos dos filhos. Uma sugestão para os pais é de se informarem sobre os cursos que são interessantes a eles. Dessa forma, podem discutir as opções objetivamente, considerando tanto a paixão do jovem pelo assunto, quanto as perspectivas futuras naquela área.


“Visitar universidades, participar de dias de orientação e conversar com profissionais ou estudantes da área podem fornecer ajudar no momento da decisão. Encorajar o filho a participar de workshops ou cursos online pode também ajudá-lo a tomar uma decisão mais informada”, ressalta a especialista.


Vale lembrar que muitos vestibulandos, que estão recentemente saindo do ensino médio, podem se sentir inseguros a respeito de qual curso seguir. Esse sentimento é normal, e a compreensão e ajuda dos pais pode ser um fator essencial para facilitar a decisão.


Quem complementa isso é Edmilson de Castro, da Coordenação Pedagógica no Ensino Médio da Escola Viva. “É importante favorecer o clima de escuta acerca das dúvidas, certezas e incertezas do estudante. Uma escuta ativa e participativa. Com questões e problematizações, mas sem, contudo, colocar o filho contra a parede”, explica o profissional.


Evite interrupções e barulho nos momentos de estudo


Para incentivar os filhos, também é preciso reconhecer a necessidade de um lugar propício para os estudos. “A família pode contribuir significativamente para um ambiente de estudos eficaz em casa, designando um local específico para estudos que seja tranquilo, organizado e bem iluminado”, explica Mara.


Segundo a profissional, é importante que esse espaço seja livre de interrupções frequentes e ruídos desnecessários. Além disso, manter uma atmosfera leve em casa, com tempo para relaxamento e atividades em família, pode ajudar a reduzir o estresse e aumentar a produtividade do estudante. “Os pais devem também ser flexíveis quanto aos horários de estudo e entender que cada jovem tem seu próprio ritmo de aprendizado”, reforça a especialista.


Comemorar os pequenos passos ajuda na motivação


É fundamental que os pais celebrem e apoiem os esforços e conquistas dos filhos, independentemente dos resultados do vestibular. Quem explica isso é a professora Dayane Alemar, fundadora da Salinha, curso preparatório pré-vestibular.


“Elogiar o empenho e a dedicação dos jovens é essencial para fortalecer sua autoconfiança e autoestima, mesmo diante de eventuais dificuldades. Mostre aos jovens que cada passo dado, cada obstáculo superado, é uma vitória digna de celebração e reconhecimento”, aponta a professora.


Segundo a profissional, isso ajuda os filhos a saberem que, independentemente do resultado, terão a certeza do apoio e amor dos pais. “Reconhecer e valorizar cada progresso e conquista, por menor que seja, demonstra orgulho e incentiva os jovens a continuarem perseguindo seus objetivos”, esclarece Dayane.


Para Pablo Damasceno, diretor na Vila das Juventudes da Escola da Vila, também é essencial evitar comparações com outros estudantes e manter o diálogo sobre as dificuldades, oferecendo ajuda. “Acredito que incentivar o filho a buscar autodisciplina é mais eficaz do que apenas supervisioná-lo”, complementa.


Vestibular é um momento crucial de crescimento


Apesar de toda a ajuda, o vestibular ainda é um processo individual, que pode ajudar no desenvolvimento profissional e pessoal. Marcel Costa, diretor fundador da IntegralMind, é quem esclarece isso. “O processo se desenrolará por si só e terá dificuldades e vitórias que são deles – e não há nada que os pais devam fazer. Afinal, os pais não podem tomar a frente e o filho se tornar secundário no seu próprio amadurecimento”.


Para o educador, a maior riqueza desta etapa vai além da carreira e do sucesso profissional. “Esse é o início do processo que moldará quem seu filho se tornará. Essa é uma viagem de autodescoberta, tanto para os estudantes, quanto para os pais”, explica.

E para os pais que se sentem tão ansiosos quanto os filhos durante essa jornada, Marcel sugere que respirem fundo, mantenham o bom humor e lembrem-se de que a aprovação vem assim que o aluno estiver pronto. “No final das contas, vestibular é apenas um dos momentos da vida. A verdadeira vitória é ver seu filho crescer, aprender e se tornar a pessoa que deseja ser”, finaliza.


6 visualizações

Comments


bottom of page